- O parto Natural e humanizado de verdade - A maneira segura e emocionante de ajudar mulheres trazer crianças ao mundo

sexta-feira, 10 de julho de 2009

“Parto” Cesáreo

O que se esconde por trás da expressão “Parto cesáreo”?

Para compreender isto, primeiro temos que esmiuçar ambas as palavras, isoladamente.

Há 50 anos, se fosse perguntado a uma mulher o que a parteira faria se o parto não saísse como o planejado, certamente ela não diria que faria uma cesariana. Ela simplesmente confiaria que tudo sairia bem e teria fé que Deus guiariria as mãos de sua parteira.
Simples assim.

Claro que não podemos exigir que uma sociedade cega dessas, descrente de tudo que não se possa ver, leve isto em consideração. Mas é necessário refletir sobre o porquê a história das parteiras ser de tanto sucesso e porquê a mortalidade materno-infantil não caiu com o advento da dita “tecnologia”. Que, por sinal, veio para "salvar" as poucas que a natureza não conseguia e, ao invés disso, foi utilizada indiscriminadamente, o que acarretou sérios problemas que todos já conhecemos. Então que segurança é essa que não dá resultados? A segurança não deveria advir dos próprios resultados?

Isto porque a conversa até entao é somente bem estar físico, porque se houver uma avaliação integral, incluindo a humanização,a comparação é descrepante.

Então para curar a ferida de uma cesárea e de tudo que ela implica, junto com a cicatriz dão também o rótulo “Parto cesáreo” para que todos sem sintam mais confortáveis dentro da frustração. A mulher porque desejou, o médico porque não correspondeu.

Parto é processo. Parto é como se chamava há milênios e cirurgia é outra coisa. As pessoas não são mais nem menos por terem nascido ou se submetido a uma cesariana, mas não é um nome errado para o procedimento que vai curar a ferida.
Cesariana é uma classificação para uma operação, um procedimento médico, uma medida extrema para uma situação extrema. Parto em hip´´otese alguma é isso.

Digo e repito: as cesáreas são importantes não sô para salvarem vidas fisicamente. Reconhecemos a importância de cesariana até quando não existe um risco de vida claro. Quem vive no campo de batalha sabe disso.

A questão é que as feridas não são curadas com palavras amenizadoras, mas com reflexões e atitudes. Colocar panos quentes jamais resolverão as questões pessoais que uma ferida dolorida implica.

Não existe “parto cesáreo” tanto quanto não existe o cultuado jargão “menos mãe”. Existem, sim, pessoas que passaram por cirurgias - por desejo, necessidade, equívoco ou enganação - para terem seus filhos. Mas isso foi o que a vida ofereceu naquele momento, por alguma razão. Razão individual e intransferível. Ficar triste com quem aponta um problema não é suloção.

Não fiquem magoadas. São só palavras que precisam ser bem colocadas...
Não recuse informação, oportunidade nem a mudança.
Evite preconceitos, panos quentes e autocomiseração. É o espelho nu que nos mostra a verdade, não a pintura de uma bela paisagem.
O conto de fadas acabou, mas a culpa não é de ninguém.
A cura de uma cesárea não é só física, mas nós mulheres podemos lidar com isso e superar. Ainda mais depois que nos tornamos mães!

5 comentários:

╰☆╮F®ÅNciєℓyღ εїз* disse...

Eu sinto "inveja" de quem pode ter contato com você. Sinto mesmo! ;)
Parabéns sempre!
Continue assim!
Força!!!
bjs mil
Amiga Fran

Mamae Dydy disse...

Nossa, Fran!
Vc é que é pra frente pra esse mundo! É mto dificil reconhecer novos posicionamentos estando na matrix e vc consegue fazer isso, uma perola realmente.
Um grande beijo!

Odara disse...

Dydy, estou com problemas na amamentação, gostaria de saber se vc pode me ajudar...

Minha filha vai fazer 3 meses na terça-feira, dia 28.. no começo demorou um pouco para pegar o peito, mas depois que pegou, não largou mais! Engordou 1.680kg em 1 mês, mamava muito!! Há umas 3 semanas, ela começou a recusar o peito, sempre q eu coloco na posição de mamar ela começa a chorar, me empurra, unha, vira o rosto, esconde e não quer de jeito nenhum! Eu insisto bastante, daí ela pega.. e quando ela começa mama, realmente estava com fome... as vezes mama muito, as vezes só 5 minutos... há 2 semanas eu levei no pediatra para ver se não era dor de ouvido ou algo de errado com ela.. ela estava com um pouco de sapinho na boca e ele falou q devia ser isso, pq doia pra mamar e ela podia estar recusando sentir dor.. mas ela sempre estava com a chupeta na boca e se doesse mesmo, nao iria chupar a chupeta, eu acho... passei o remédio e 3 dias depois nao tinha adiantado nada, ela estava pior ainda pra mamar e o sapinho nao tinha desaparecido. Entao levei em outro pediatra... ele passou outro remedio para o sapinho e examinou ela de novo e nao tinha nada de errado... 3 dias depois o sapinho tinha desaparecido completamente, mas ela continuava igual... voltei no pediatra, fizemos exame de sangue, urina, raio x do torax... nao tem nada, nao é infecção urinária e aparentemente está tudo normal, mas ela continua recusando o peito... estou desesperada pq ela nunca mamou em mamadeira e o q eu menos quero na vida é ter q dar leite artificial, sendo q eu amo amamentar e tenho muito leite, graças a Deus... vc tem alguma idéia do q possa ser? já viu algo igual? e o q eu posso fazer??? pensei q poderia ser trauma do peito por causa da dor... mas quando ela pega o peito ela mama... nao sei mais o q pensar! Obrigada... odarafagundes@yahoo.com.br

Ana Clara disse...

Pena que nao te conheci ANTES do nascimento do meu filho!!!!

Eva disse...

´´E isso ai.
Vc nao tem ideia de como eu tenho pensado justamente na expressao parto cesareo.Nunca digo meu parto cesareo, digo a cesariana. Sei que nao tive um parto e sim uma cirurgia.
E como isso dói.

Eles já me visitaram