- O parto Natural e humanizado de verdade - A maneira segura e emocionante de ajudar mulheres trazer crianças ao mundo

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Enfermeiros Obstetras...

Dia desses li que o “Enfermeiro Obstetra (EO) está ‘capacitado para ajudar o médico obstetra a realizar partos...”
Devo dizer que há vários erros nesta frase tão pequena...

O EO não “ajuda” o médico a “fazer” o parto. Primeiro porque num parto natural, nem o médico nem a EO deveriam muita coisa, senão observar o progresso e auziliar no alívio da dor, quando houver. Depois porque um parto, não raro, acontece com ou sem profissionais por perto. Vira e mexe alguém nasce em casa ou no meio do caminho, sem problemas.

O EO não "ajuda" médico. O EO é um profissional autônomo, não precisa de nenhum outro, a menos que haja indicação clínica de algumas intervenções. O que quero dizer é que nós podemos e devemos dar assistência pré natal e ao trabalho de parto a quem nos procura, sem depender de qualquer outra categoria, bem como os médicos não precisam de nossa ajuda para exercer sua profissão. Por outro lado poderíamos (e deveríamos) sempre nos ajudar.
Afinal, o que está em jogo é a saude e a satisfação das mulheres, ou não?
Apesar de não ser obrigação de nenhum dos dois, acredito que a parceria poderia ajudar, mas não é uma condição sine qua non...

Na verdade, esta frase foi utilizada para desabonar o trabalho de toda uma categoria, muito competente que apresenta ótimos resultados. É um absurdo que profissionais desmereçam o trabalho de outros, só porque não pertencem a mesma profissão, apesar de ambos estarem habilitados a exercer a obstetrícia básica, que poderia atender a pelo menos 85% de todas as gestantes e teoricamente igualmente comprometidos com a mulher e seu bebê.

E que o mercado não esteja acima dos interesses, escolhas e bem estar de nosso público.

Inegavelmente somos muito gratos aqueles colegas que não possuem esta vaidade, que ajudam, que pensam mais no bem comum do que no de uma categoria. Ás vezes é preciso mais do que sensibilidade. Sair da matrix é difícil, mas estes conseguiram, Enquanto mulher e enquanto profissional, tenho um carinho especial pro eles, porque graças ao excelente trabalho em equipe, muitas mulheres estão tendo o direito de escolher vivenciar plenamente este momento lindo, vivido tão poucas vezes na vida: o nascimento de um filho.

Obrigada ás mulheres e a vocês...

2 comentários:

Marilia disse...

Olá, Dydy! Parabéns pelo blog!! É maravilhoso compartilhar seu conhecimento e experiências dessa forma.
Estou grávida de 19 semanas e pesquisando tudo o que posso sobre o assunto que mais me preocupa no momento - o parto.
Eu nunca havia ouvido falar sobre parto humanizado e doulas antes e, pior, fiquei sabendo que os obstretas não fazem parto normal pelo convênio por nada nesse mundo na minha cidade... E pensando nas mulheres que eu conheço que tiveram bebês recentemente, e queriam parto normal, de 10, somente 1 foi parto normal. Todas as outras tiveram algum 'problema' e de ultima hora o médico 'teve' que fazer a cesária - o cordão umbilical estava em volta do pescoço, não teve dilatação (após só 1h de trabalho de parto...), etc e etc. Eu sou advogada, não entendo muito da área médica, mas acho impossível de 10 partos só 1 ter conseguido normal! Você poderia me mandar mais informações sobre o assunto?
Obrigada e um grande abraço!

mamae disse...

Marilia! Nao tenho seu contato e nao consigo responder no seu blog, mas vc tem toda razao.
Entre em contato cmg se entrar aqui denovo.
Um abraço
nadinih@yahoo,com,br

Eles já me visitaram